domingo, 16 de junho de 2013

Compare os diferentes tipos de escravidão praticados na África:

a) Escravidão doméstica: 
Quando existem poucos escravos e a sociedade não depende do trabalho dele em sua economia. 
 Em algumas sociedades africanas a escravidão era uma atividade secundária, isto é, entre vários povos africanos, o escravo não era uma mercadoria, mas sim um braço a mais na colheita, na pecuária, na mineração e na caça; um guerreiro a mais nas campanhas militares.
Estas sociedades não estavam organizadas de tal maneira que a escravidão fosse uma instituição essencial. Sendo, portanto, um tipo de dependência, um meio eficaz de controle. Neste tipo de escravidão, os escravos são assimilados pela cultura dominante. 

Principais características:
  • O escravo é um bem móvel,
  • Trabalha em funções administrativas,
  • Serve no exército como soldado,
  • Trabalha nas atividades domésticas,
  • É utilizado em sacrifícios,
  • É utilizado no concubinato.


b) Escravidão como instituição (a partir da presença muçulmana no norte da África, séculos VIII ao X):
Presente nas sociedades onde os escravos eram usados extensivamente na produção e na servidão doméstica. 
A escravidão era justificada com base na religião, e aqueles que não eram muçulmanos estavam legalmente passíveis de escravização. Na tradição islâmica, a escravidão era vista como um meio de converter os não-muçulmanos. 
Ao contrário das práticas escravistas na Europa, a escravidão muçulmana não levava em consideração a cor da pele.

Principais características: 
  • O escravo é um bem móvel,
  • Serviço militar,
  • Trabalho administrativo,
  • Trabalho doméstico ou sexual,
  • Concubinato,
  • Preferência pelas mulheres. 

c) Escravidão como modo de produção (a partir da presença europeia na África, séculos XV ao XIX):
Quando a escravidão assume uma centralidade na vida social e altera as relações sociais presentes em uma dada sociedade. 
Este tipo de escravidão ocorreu a partir da presença europeia no continente africano. 
A atração do mercado atlântico tinha efeito de afastar ainda mais as formas locais de escravidão, na qual o escravismo era apenas uma entre outras formas de dependência pessoal, para um sistema no qual os cativos desempenhavam um papel cada vez mais importante na economia. Desta forma, o comércio transatlântico marcou uma mudança radical na história da África, principalmente porque este comércio envolveu a exportação (migração forçada) de milhões de africanos. 
Antes desse desenvolvimento comercial, o litoral atlântico africano tinha estado praticamente isolado do mundo exterior.
          
Principais características: 
  • O escravo é um bem móvel,
  • O escravo tem um importante papel na economia,
  • Os escravos são obrigados a migrar em massa forçada,
  • Trabalho doméstico ou sexual,
  • Apenas os negros tornavam-se escravos,
  • Preferência por escravos homens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário